Leite: preço deve bater recorde em agosto e continuar subindo no 2º semestre

De acordo com a consultoria, o valor médio recebido pelo produtor brasileiro em julho já foi o segundo maior da história, a R$ 1,75 por litro

Fonte Canal Rural

Os preços do leite pago ao produtor e dos derivados lácteos devem subir ao longo do segundo semestre de 2020, projeta a Cogo – Inteligência em Agronegócio. No momento, segundo a consultoria, o valor médio do litro de leite no Brasil regista alta de 29,2% entre janeiro e julho.

“Esse avanço no preço em 2020 foi acentuado pelo forte aumento de 15,7% observado de junho para julho, quando o valor médio ao produtor chegou a R$ 1,75 por litro, o maior registrado para um mês de julho e o segundo mais alto de toda a série histórica, atrás apenas da média de agosto de 2016 (R$ 1,78/litro), em termos reais (valores deflacionados pelo IPCA de julho/2020)”, informa.

Apesar do patamar já elevado, o preço do leite captado em julho e pago neste mês de agosto deve ultrapassar com folga o recorde, segundo a Cogo. “A expectativa é de alta média de 10%”, diz.

Os preços do leite pago ao produtor e dos derivados lácteos devem subir ao longo do segundo semestre de 2020, projeta a Cogo – Inteligência em Agronegócio. No momento, segundo a consultoria, o valor médio do litro de leite no Brasil regista alta de 29,2% entre janeiro e julho.

“Esse avanço no preço em 2020 foi acentuado pelo forte aumento de 15,7% observado de junho para julho, quando o valor médio ao produtor chegou a R$ 1,75 por litro, o maior registrado para um mês de julho e o segundo mais alto de toda a série histórica, atrás apenas da média de agosto de 2016 (R$ 1,78/litro), em termos reais (valores deflacionados pelo IPCA de julho/2020)”, informa.

Apesar do patamar já elevado, o preço do leite captado em julho e pago neste mês de agosto deve ultrapassar com folga o recorde, segundo a Cogo. “A expectativa é de alta média de 10%”, diz.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2020