Lançada em Barreiras a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Aftosa

Foi lançada na manhã de hoje, 26, na sede da Fazenda Água Doce, em Barreiras, a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Aftosa na Bahia. Participaram do evento o diretor presidente da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Oziel Oliveira, a deputada estadual Jusmari Oliveira, o presidente da Associação dos Criadores de Gado do Oeste da Bahia (Acrioeste), Mario Mascarenhas, o proprietário da fazenda, Antonio Balbino de Carvalho Neto, além de diversos diretores, técnicos e fiscais da Adab estadual e de Barreiras, representantes do Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras (SPRB), do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi) e pecuaristas e empresários da região. Durante o evento, o presidente da Acrioeste entregou um ofício para o diretor presidente da Adab contendo pautas de reivindicações para o fortalecimento do escritório regional da Adab em Barreiras e demais demandas dos pecuáristas da região.

Historicamente as campanhas do segundo semestre acontecem de 01 a 30 de Novembro, mas a Adab antecipou o início da vacinação em uma semana como estratégia para incrementar os índices de imunização do rebanho de zero a 24 meses.

Na primeira etapa, 93,36% dos mais de 11 milhões de animais foram vacinados em todo o território baiano, mesmo diante de fatores adversos como o agravamento da pandemia e a falta de vacinas contra a Febre Aftosa em 14 estados do país, incluindo a Bahia. O rebanho baiano é livre da Febre Aftosa há 24 anos e já possui o status de Livre da Aftosa Febre Aftosa com Vacinação, atestado pela Organização Internacional de Epizootias (OIE), há 20 anos. A meta é ultrapassar essa classificação, suspendendo a obrigatoriedade da vacina, mas, para isso, ainda é necessário imunizar os animais.

Para o diretor de Defesa Animal da Adab, Carlos Augusto Spínola, a Bahia tem um grande desafio pela frente que é fazer com que os pequenos criadores do Estado, que representam 47% do rebanho da Bahia, participem efetivamente dessa campanha. “A Bahia tem uma particularidade que é 88% dos nossos pecuaristas possuem um rebanho de até 50 animais e necessitamos estar todos juntos para alcançarmos o nosso objetivo que é tornar a Bahia Livre da Aftosa Sem Vacinação até o ano de 2026”, disse Carlos Augusto.

O presidente da Acrioeste, Mario Mascarenhas, agradeceu a presença de todos e reforçou a importância da Cadeia Produtiva da Pecuária do Oeste da Bahia, para o próprio estado e para o País. “Se quisermos manter o agronegócio pujante como ele se apresenta, é necessário termos uma agência de defesa agropecuária fortalecida”, comentou Mario Mascarenhas.

O pecuarista e vice-presidente da Acrioeste, Antonio Balbino enfatizou a importância do evento e afirmou que a Adab é o escudo de proteção do agronegócio do Estado e garante a sanidade dos animais. “Por sermos uma região de fronteira com outros estados, o Oeste da Bahia corre diversos riscos com a entrada de animais. Devido as grandes extensões de terras, as dificuldades de fiscalização são enormes e não são por incapacidade técnica, mas muitas vezes por falta de condições de recursos necessários para desempenharem seus papeis”, endossou Balbino.

Para ele, o agronegócio foi e tem sido a tábua de salvação da economia do país. Enquanto outros setores pararam durante a pandemia, quem segurou a peteca foi a agropecuária e se ocorrer algum baque sério por falta de fiscalização das fronteiras, não só a região, mas a Bahia e o País como um todo sofrerão as consequências. “Nossa única forma de proteção é uma defesa sanitária consolidada e firme. Acredito muito na valentia de nossos técnicos e fiscais, apesar das condições de trabalho não serem ideais”, abordou o pecuarista.

Presente ao evento, a deputada estadual e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa da Bahia, Jusmari Oliveira reforçou a fala do anfitrião e lembrou que caso surja um foco de aftosa na região, não será só a pecuária a grande prejudicada, mas toda a cadeia produtiva de alimentos do Oeste. “Estar aqui neste evento é prestigiar todo esse setor que envolve o criador, a criadora, os técnicos, os fiscais, enfim, todos os agentes que fazem prosperar essas cadeias produtivas. “O momento da pandemia foi um momento terrível, de muita dor, mas também foi um momento de muita reflexão de que nada vem para não deixar uma lição e a maior lição que a pandemia deixou foi a de refletir a importância do homem e da mulher que vivem no campo produzindo alimentos nas atividades primárias. Sem essas pessoas, a economia nacional teria naufragado”, falou a parlamentar.

O diretor presidente da Adab, Oziel Oliveira, completou dizendo que sem uma defesa sanitária forte e consolidada, a conquista de novos mercados consumidores no mundo torna-se muito mais difícil. Escolhemos iniciar a segunda etapa da Campanha de Vacinação contra Aftosa na região Oeste muito em função de que alguns municípios do Oeste tiveram baixo índice de vacinação na primeira etapa. Queremos que o Oeste da Bahia seja uma referência em vacinação e mostrar para o restante da Bahia que aqui em nossa região o agronegócio produz muito e com qualidade. “Queremos ainda que essas duas plataformas – vegetal e animal -, trabalhem juntas através do fortalecimento dos programas, tanto em nível federal, estadual e regional”, concluiu Oziel Oliveira.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2021