Dia de Campo em Cotegipe (BA) mostra como elevar produtividade pecuária na pecuária de corte

No próximo sábado,16 de julho, pecuaristas do oeste da Bahia e Matopi (Maranhão, Tocantins e Piauí) terão a oportunidade de se atualizar em relação à conjuntura pecuária no Brasil, aprofundar conhecimentos em melhoramento genético e incorporar animais superiores em seus rebanhos. Trata-se do dia de campo promovido pela Agropecuária Jacarezinho, na Fazenda Nova Terra, em Cotegipe (BA).

Segundo Lucas Motta, gerente comercial da empresa, reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, como a maior fornecedora de touros do Brasil no levantamento TOP 100, com 2.465 comercializados em 2021, este dia de campo tem como objetivo apresentar ferramentas capazes de potencializar os índices zootécnicos da pecuária local e regional.

O dia de campo contará com a presença de palestrantes icônicos no mercado pecuário. O CEO Arnaldo Eijisnk abrirá os trabalhos logo cedo, apresentando os resultados da Agropecuária Jacarezinho. Depois será a vez da jornalista especializada e apresentadora da Jovem Pan News, Kellen Severo, falar sobre “Economia e Agronegócio: O que vem por aí”?

Na sequência, Marcelo Almeida, gerente executivo da CIA de Melhoramento e diretor da Pro Produção Profissional, apresentará o respeitado programa de melhoramento genético realizado em Cotegipe e nas demais unidades do grupo.

“Um dos diferenciais da Jacarezinho, além de exercer forte pressão de seleção, ofertando apenas os 30% melhores touros da safra, é sua capacidade de produzir reprodutores Nelore CEIP eficientes em qualquer um dos biomas brasileiros”, destaca Motta.

Encerrando as palestras, será a vez de empresas parceiras da Jacarezinho, promoverem dinâmicas voltadas à “Precisão na Agricultura: as técnicas mais avançadas de maquinário, manejo e irrigação”.

Três décadas na seleção de touros

Durante a programação, que ocorrerá das 7h30 às 16h, a Agropecuária Jacarezinho colocará para apreciação dos convidados 125 touros Nelore de sua “reserva genética”, ou seja, abrirá mão da nata dos touros da safra 2019. Os animais seguem com CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção), emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Também significa que todos eles passaram por um rigoroso programa de avaliação genética, hoje conduzido pela CIA de Melhoramento. Entre as principais Diferenças Esperadas na Progênie (DEPs) mensuradas, é possível destacar a IPP (idade ao primeiro parto, precocidade sexual), o IFRIG (índice frigorífico) e o RMat (retorno maternal).

Traduzindo em miúdos, a IPP é um forte indicador de precocidade sexual e a RMat é uma estimativa do retorno econômico de cada vaca, por quilo de peso vivo produzido, sempre descontados dos custos de produção. Já o IFRIG é um indicador específico de qualidade frigorífica. Outro destaque é o “ICIAGen”, o índice que ranqueia os touros dentro do programa.

Referência no Nelore CEIP

A Agropecuária Jacarezinho nasceu em 1993 e está presente em quatro estados brasileiros. No Mato Grosso do Sul, estão as fazendas Novo Horizonte (município de Coxim) e São Sebastião (Corumbá); no Mato Grosso, fica a São Marcelo (com propriedades em Juruena e Tangará da Serra) e na Bahia abriga a Nova Terra, nos municípios de Wanderley e Cotegipe.

A base do plantel é formada por mais de 40 mil fêmeas, incluindo um seleto time de doadoras. O trabalho busca precocidade e fertilidade, além de alto e rápido desenvolvimento ponderal. Ainda traz consigo o trunfo de estar presente em três biomas diferentes: Amazônia, no MT; Pantanal, no MS; e Cerrado (transição para a caatinga), onde chove 700mm/ano, em média.

Com esse desenho geográfico, a Agropecuária Jacarezinho “prova que sua genética é adaptada a quaisquer condições de Brasil e mesmo de outros países tropicais, como já acontece”, explica Arnaldo Eijsink, CEO da empresa.

Mais informações no site agrojacarezinho.com.br ou Instagram @agrojacarezinho

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2022