Brasil será exportador de carbono ao mundo que polui, diz ministro do Meio Ambiente

Joaquim Leite falou sobre os bastidores da COP26 na reunião semanal da Frente Parlamentar da Agropecuária

Fonte Canal Rural

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, participou nesta quarta-feira, 17, da reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), para falar dos bastidores da COP26, realizada em Glasgow, no Reino Unido.

Ele comemorou o fato de que o Brasil será exportador de carbono para o mundo que polui. “Nós temos menos de 3% das emissões aqui no Brasil, 97% são globais. O que significa isso? Para chegar à neutralidade, você não vai conseguir zerar todas as emissões, vai ter que compensar, e o Brasil vai ser um grande exportador”, disse, lembrando que a agricultura é uma das fontes para esse o mercado de carbono.

Leite afirmou que, enquanto o Brasil atuou “de forma excepcional” na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, muitos dos países mais ricos do mundo “não fizeram a lição de casa”, postergando a aplicação de recursos para mitigação de emissões nas nações menos menos desenvolvidas para 2025.

“A agricultura em si vai na boa direção de ser menos emissora com certeza e a aproveitar para criar empregos verdes baseado em reduções de emissões, baseado em uma agricultura de baixa emissão de gases do efeito estufa”, disse o ministro sobre a atividade no Brasil.

Sobre a proposta da União Europeia de banir a importação de produtos que estejam ligados ao desmatamento, o ministro do Meio Ambiente “Nós estamos no acordo do clima, nós estamos na direção correta, nós estamos na direção de um acordo mais ambicioso para o Brasil, e nós temos a soberania nacional. Nós temos países muito ricos e países muito frágeis economicamente falando, e qualquer movimento desses, de um país, unilateralmente, deve ser combatido e com certeza será combatido pelo Brasil”.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2021