Bahia enfrenta a pior seca dos últimos 30 anos e criadores perdem gado

A Bahia enfrenta a pior seca dos últimos 30 anos. Já são 149 municípios em situação de emergência. Em Itapetinga, o gado está morrendo por falta de pasto. Ou seja: morrem de fome.

A seca é uma das piores da história do município de Itapetinga. Já são 10 meses de estiagem prolongada e, mesmo com uma chuva fina que caiu nos últimos dias, a situação não mudou. O pecuarista Aete Cardoso já perdeu 100 cabeças de gado e conta com a fé para manter uma esperança de melhora: “A gente tem uma lida árdua, todo dia, de sol a sol para alimentar esse rebanho… e o rebanho vai só definhando, morrendo. E a gente não pode fazer nada, a não ser esperar pela misericórdia de Deus”.

O município ocupava a segunda posição com o maior rebanho bovino do estado. Agora, caiu para o quarto lugar. Quem vive da pecuária, está preocupado com a situação. Marcelo Ferraz, presidente do Sindicato Rural de Itapetinga descreve a gravidade da situação: “A diminuição do rebanho é muito grande. Desemprego na região, em função dessa seca e nós temos que lembrar que estamos ainda a uns 4 ou 5 meses do período de chuva”.

A seca é tão grave na região que, de janeiro até agora, já morreram 30 mil animais.  E o quadro ainda pode se agravar: há previsão de mais estiagem pelos próximos três meses. Sem chuva, o capim não resiste, a pastagem seca e o gado morre, sem ter o que comer.

A seca afetou principalmente a captação de leite. Há uma cooperativa cuja produção registrou queda de 60%, forçando a demissão de 6 funcionários. Antônio Rodrigues, presidente da cooperativa de leite, não tem boas previsões: “Se continuar, [a solução] é fechar a fábrica. Ou é demissão, ou fechar a fábrica”.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2020