Fazenda Japaranduba doa percentual de leilão à Acrioeste

A Fazenda Japaranduba, localizada no município de Muquém do São Francisco, Oeste da Bahia, realizou na noite de ontem, 02, a entrega de um cheque no valor de R$ 12.522,80 à Associação do Criadores de Gado do Oeste da Bahia (Acrioeste), relativo a um percentual de vendas de animais ofertados durante o 54º Leilão Japaranduba ocorrido no último dia 13 de julho deste ano.

A entrega esteve a cargo do proprietário e pecuarista Fernando Paranhos Filho e contou com a presença do presidente da Acrioeste, Mario Cezar Mascarenhas, e demais diretores da entidade.

Segundo Fernando Paranhos Filho, a ideia da doação surgiu da necessidade de termos uma entidade representativa cada vez mais forte. “Quanto mais forte for a Acrioeste, mais representatividade teremos”, enfatizou o criador.
Além da Fazenda Japaranduba, a Fazenda Agroeste do empresário e pecuarista Adelar Geller e a Empreendimentos Agropecuários Antonio Balbino, do pecuarista Antonio Balbino de Carvalho Neto fizeram doações nos mesmo moldes e objetivo semelhantes. Adelar é diretor de eventos da Acrioeste e Antonio Balbino vice-presidente da entidade.

Para Mario Mascarenhas, a noite de ontem foi iluminada, na qual o associado Fernando Paranhos demonstrou altruísmo ao doar parte das vendas para a Acrioeste. “Todas as doações recebidas são extremamente importantes, uma vez que a Acrioeste está se capacitando com recursos, que, no transcorrer do ano serão revertidos em programas voltados aos pequenos criadores. A nossa ideia é ir até a casa desse pequeno produtor para fazer um Dia Técnico, no qual possamos demonstrar que mesmo sem recursos, mas com mudanças de ações, o pequeno criador pode obter lucro em sua atividade”, concluiu Mascarenhas.

História da Japaranduba – Há seis gerações, na sesmaria de Japaranduba, no município de Palmares, Estado de Pernambuco, foi fundado um engenho de cana de açúcar que viria a se transformar em um dos maiores de Pernambuco. Era o tempo do ciclo do açúcar e o desenvolvimento industrial açucareiro florescia.

Dr. Pedro Affonso Ferreira, agricultor, bacharel em Direito e grande administrador, presidente das províncias do Piauí e depois de Santa Catarina, casa-se com a filha de José Maria da Silva Paranhos, o Visconde do Rio Branco, 1º Ministro do 2º Império.

Deste casamento é formada a Família Paranhos Ferreira. Da simbiose entre a diplomacia dos Paranhos com a formação agrícola dos Affonso Ferreira, prevalece a segunda, ou mais precisamente a ligação com a terra e a tudo que ela produz. Já na atual geração a pecuária assume definitivamente o maior relevo nos negócios da família.
Inicialmente com a bovinocultura leiteira a Japaranduba obteve por 14 anos consecutivos campeonatos expressivos com a raça Holandesa Vermelha e Branca, nas exposições Nordestinas. Com a expansão dos negócios pecuários para as grandes planícies do Oeste Baiano no início dos anos 70, onde a produção de carne é a vocação pecuária natural da região, o Nelore se impôs como opção.

“Catetinho”, como é conhecida a primeira sede da Japaranduba no oeste da Bahia, especificamente no vale do Muquém do São Francisco. Carinhosamente conservada até hoje, testemunha quase cinco décadas de histórias, lutas e conquistas.

Numa região privilegiada por topografia plana, mata alta com madeiras nobres, além de terras que impressionam pela fertilidade natural, e com um subsolo de rocha calcária riquíssimo em água de boa qualidade, a Japaranduba iniciou um trabalho de produção pecuária que vem dando excelentes frutos.

No início o Pioneirismo ao desbravar uma nova região. Pioneirismo na formação das pastagens, com todas atividades agrícolas mecanizadas; na conservação destas forragens, seja com feno ou silagem; na implantação de técnicas de seleção, como formação de grupos contemporâneos através de estação de monta definida, inseminação artificial, transferência de embriões; na criação de animais Puro de Origem, Nelore e Nelore Mocho.

Esta seleção de nelore tinha como objetivo inicial apenas dar o suporte necessário à produção do rebanho comercial, abastecendo-o com reprodutores de alto potencial genético. Objetivo este alcançado e suplantado pelo imenso prazer em exercer tal trabalho de criação, seleção e desenvolvimento desta raça.

A seleção do nelore vem de 1.978, São 41 anos ofertando muita qualidade, ano após ano, oferecendo animais Nelore e Nelore Mocho PO diferenciados, avaliados, certificados, de alto potencial genético.

A seleção genética de 41 anos confere ao rebanho Nelore da Japaranduba qualidade e credibilidade que são traduzidas nos leilões onde os animais Japaranduba são comercializados. Leilões que se tornam referência de preços para toda região, Oeste do Estado da Bahia.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2019