Diretrizes Organizacionais

A região Oeste da Bahia, principal fronteira agropecuária do Estado, está situada à margem esquerda do Rio São Francisco, é caracterizada por dois biomas distintos, o Cerrado e o Vale. Apresenta uma superfície de 162 mil km², composta por 39 municípios, e uma população de 941,5 mil habitantes. Está situada em um importante entroncamento rodoviário, interligando as regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste do país.

A agricultura empresarial praticada nas áreas do cerrado, é ocupada uma área de 1,7 milhão de hectares, com potencial para dobrar esta área. A produção de grãos é superior a 5 milhões de toneladas, representando 3,7% da produção nacional, e 90% da produção do estado da Bahia. A matriz agrícola é diversificada, composta por soja, algodão, milho, café, feijão, arroz, capim (sementes), sorgo, eucalipto e frutas.

A oferta de subprodutos agrícolas, como a casquinha e o farelo da soja, a torta e do caroço do algodão e da palhada de milho aumentam ainda mais as possibilidades da integração da agricultura com a pecuária.

A pecuária bovina, atividade desenvolvida em grande escala na parte do Vale, contempla um rebanho de 2 milhões de cabeças, em uma área de pastagens, superior a 2,2 milhões de hectares. A raça predominante é a Nelore, seguida de outros zebínos, como o Guzerá, Gir, Brahman e Tabapuã. Os europeus também são criados na região, sobretudo, a partir dos processos de inseminação artificial, prática desenvolvida em muitas propriedades rurais do Oeste baiano.

As atividades de cria, recria e engorda são as mais desenvolvidas pelos pecuaristas. No segmento da seleção (elite), se encontram na região, mais de 50 criadores, que selecionam o Nelore e o Guzerá, principalmente. Outro segmento de destaque na região, é o leiteiro, com produção diária superior a 100 mil litros/dia, no período das águas. Tendo como principais pólos produtivos, os municípios de Serra Dourada, Wanderley, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, entre outros.

Na cidade de Barreiras, o município pólo da região, com a maior diversificação econômica da região, se encontra uma planta frigorífica, com capacidade para abate de 700 cabeças/dia de bovinos, com possibilidade de habilitação para exportação. Outras plantas frigoríficas ficam localizadas nos municípios de Muquém do São Francisco e Santa Maria da Vitória.

Neste importante contexto sócio econômico, se encontra a Associação dos Criadores de Gado do Oeste da Bahia (Acrioeste), entidade sem fins lucrativos, fundada em setembro de 1994, que atua na representatividade e defesa dos interesses da classe dos criadores de gado (corte e leite).

Principais ações da Acrioeste:

• Realização de leilões, feiras de gado e eventos teóricos, como fóruns e palestras, visando transmitir ao criador os novos paradigmas do setor, buscando o desenvolvimento sustentável do setor na região;
• Exposições Agropecuárias Municipais;
• Representação efetiva dos pecuaristas na região;
• Colaboração permanente com as autoridades para manter o Estado livre da Febre Aftosa;
• Relacionamento de parceria com entidades como a ABCZ, Abac, ABCN, Aiba, Abapa, Sindicatos Rurais e órgãos governamentais, municipal, estadual e federal;
• Conquista de um técnico de registro genealógico e do programa de melhoramento genético (PMGZ), da ABCZ, sediado em Barreiras para atender toda a região Oeste da Bahia.

É importante ressaltar que nestes 15 anos de existência, a Acrioeste se firmou como uma entidade de classe, representativa e atuante, agindo de maneira proativa e procurando o máximo de eficiência ao defender os interesses dos seus associados, tendo como missão: “unir esforços dos associados para o exercício de todas as atividades tendentes a elevar os resultados econômicos e zootécnicos dos estabelecimentos pecuários de sua região de atuação, e articular a defesa dos direitos e interesses da classe dos criadores de gado”.

 

Missão:

Unir esforços dos associados para o exercício de todas as atividades tendentes a elevar os resultados econômicos e zootécnicos dos estabelecimentos pecuários de sua região de atuação, bem como articular a defesa dos direitos e interesses da classe dos criadores de gado.

Contribuir para o crescimento e o desenvolvimento da pecuária com responsabilidade ambiental e social.

Objetivos:

  • Manter a Acrioeste pro ativa, operante e representativa;
  • Ampliar o quadro de associados da Acrioeste;
  • Realizar eventos para os pecuaristas do Oeste da Bahia, difundindo as novas tecnologias e experiências do setor;
  • Ampliar as parcerias com as empresas comerciais com atuação no Oeste da Bahia;
  • Ampliar as parcerias com as entidades governamentais.

Valores:

Pecuária, Profissionalismo, Ética, Confiança, Compromisso, Representatividade, Responsabilidade Ambiental, Responsabilidade Social.

Visão:

Ser reconhecida pelos pecuaristas como uma entidade referencial na representatividade da classe no Oeste da Bahia.

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2017