Milho e proteína animal são os destaques das exportações em julho

 

Fonte Universo Agro

As exportações brasileiras em julho foram 15% maiores que o ano passado, somando US$ 17,7 bilhões. Esse resultado aliado a queda nas importações no mesmo período gerou ao Brasil um saldo comercial positivo de US$ 6,3 bilhões – o melhor desempenho desde 1989, segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviço (MDic).

O principal destaque foram as exportações de milho, que cresceram 93,7% em julho, com receita de US$ 357 milhões. Em volume, as remessas somaram mais 2,3 milhões de toneladas, alta de 122%. Os embarques de soja foram de 6,9 milhões de toneladas, totalizando US$ 2,5 bilhões, alta de 20% em volume e 4,6% em receita.

As proteínas começam a demonstrar recuperação nas exportações após a Operação Carne Fraca. A carne bovina in natura, por exemplo, teve 106,4 mil toneladas exportadas em julho, alta de quase 30% em relação ao ano passado e 6% superior a junho de 2017. A receita com as vendas externas de carne bovina somou U$ 450,7 milhões, 38,5% acima de 2016.

As exportações de carne de frango tiveram alta 8,1% em volume, com 354,5 mil toneladas e 10,3% em receita, com US$ 552 milhões. Já as vendas de carne suína caíram 6,8% em volume (52,3 mil toneladas), mas cresceu 10% em receita (US$ 122,8 milhões).

Entre os mercados compradores, o Brasil ampliou em 35% as vendas para a África, com alta nas vendas de açúcar, milho, frango e soja. Também cresceram as remessas para Ásia, com alta de quase 31% em decorrência de uma demanda mais forte da China por carne bovina e soja em grão.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2017