Frigorífico Ipê assume planta frigorífica do antigo Fribarreiras

A noite do último dia 12 foi a data escolhida para o lançamento oficial do Frigorífico Ipê, que passa a comandar a planta frigorífica onde funcionava o antigo Fribarreiras. O evento contou com a participação de pecuaristas da região.

Sob o comando do jovem visionário Stefan Zembrod, o Frigorífico Ipê assume a operacionalidade de compra, abate e venda de bovinos, ovinos, caprinos e suínos em Barreiras e região. Com capacidade de abate de 450 animais/dia, o Frigorífico Ipê é o maior empreendimento do setor no Oeste da Bahia e um dos três com Serviço de Inspeção Federal (SIF) no Estado e único na região, os outros dois ficam na macrorregião de Feira de Santana.

Ao assumir a planta frigorífica do antigo Fribarreiras, o Frigorífico Ipê reforça a importância econômica e para a saúde humana que um frigorífico habilitado pelo Serviço de Inspeção Federal presenta para uma região. O SIF é o responsável por assegurar a qualidade de produtos de origem animal comestíveis e não comestíveis destinados ao mercado interno e externo, o que garante produtos com certificação sanitária e tecnológica para o consumidor brasileiro, respeitando as legislações nacionais e internacionais vigentes. Além disso, uma planta frigorífica, como a administrada pelo Frigorífico Ipê, abre as portas para vendas para o exterior e para todo o território nacional, abrindo o leque de comercialização da proteína animal produzida no Oeste da Bahia.

Sob a administração de Stefan Zembrod, o Frigorífico Ipê já firmou novas parcerias com grandes redes de mercado em Salvador, a exemplo do Atacadão, Atacarejo, G Barbosa, Al Mart, entre outros.

Formado em Medicina Veterinária e Zootecnia, natural do interior de São Paulo, Stefan Zembrod é filho de alemães que praticam a pecuária no país europeu a vários anos.

Segundo Stefan, desde muito jovem ele tinha em mente a implantação de um projeto agropecuário que fechasse toda a cadeia produtiva que envolve cria, recria, engorda, abate e comercialização. “Nossas terras em São Paulo não tinham o tamanho necessário para fazermos toda a cadeia produtiva. Em função disso saímos em busca de terras no país todo e fiquei encantado com o Oeste da Bahia. Como vim no período das chuvas resolvi esperar mais um pouco e ver como os pecuaristas enfrentavam o período de estiagem. Mesmo percebendo que alguns produtores passavam por perrengues durante a seca, eu não enxerguei dificuldades, mas me defrontei com uma gama enorme de oportunidades”, disse Stefan, afirmando a todos os presentes que dificuldade é produzir gado na Alemanha, país que enfrenta um inverno rigoroso com solo coberto por quase dois metros de neve durante seis meses.

O jovem empresário comentou que apesar dos seis meses de seca que ocorrem anualmente no Oeste da Bahia, o custo de armazenagem de alimentos é muito barato, sendo possível estocar fenos ao ar livre, sem riscos de pegar chuvas. É só se organizar, tecnificar e produzir que conseguiremos enfrentar o período de estiagem sem muitas dificuldades”, ressaltou Stefan.

Em 2007 a família de Stefan adquiriu propriedades no município de Santa Rita de Cássia, na região do Entroncamento. “Desde que começamos a produzir gado no Oeste, tive em mente a verticalização da cadeia produtiva e pouco a pouco fomos implantando nossas metas e uma planta frigorífica habilitada pelo SIF estava entre elas”, concluiu o pecuarista e empresário.

  • Compartilhe:

© Copyright - Todos os direitos reservados - Acrioeste 2019